24.8.09

Não é você, sou eu.

Mudar? Não, não quero mudar. Mas como agir quando te vejo, sorrir não consigo. Pois seria falsidade da minha parte. Você me vê, e eu não sei, meu coração não sabe o que sentir, minha cabeça não pensa em o que falar. Meus olhos se embaçam com lágrimas de vontade, apenas vontade. Meus ouvidos só ouvem teu nome, e minha boca grita, grita seu nome já sem voz. Mas como você vai ouvir algo, ou ver o que eu sinto, se você está cego, surdo e mudo?’ e minha boca, meus olhos, minha cabeça e meu coração já cansaram de saber que você nunca, absolutamente nunca será meu.

5 comentários:

Gustavo disse...

Já senti na pele isso... hehehe
Ver e não ser visto por quem se quer... Fazer o que? Procuremos que nos enxerga... =D

Jean Leal disse...

Blog muito bom!
Teus anseios estão todos aqui ;D
Abraços

Federal disse...

sim
todos tem culpa hein?
vamo em frente!

Fellype Takeda disse...

adorei o seu tambem *-* vou voltar sempre (:
beijo :*

Video Ventura disse...

Primeiro lugar, obrigado pela visita no meu blog.

Segundo, acho que você não deve usar as palavras "absolutamente nunca", até porque as coisas que nos acontece não dependem apenas da gente e se o destino assim quiser, vai acontecer.

Forte abraço e boa semana!